Revitalização de praças centrais ganha força

O movimento pela revitalização das praças São José, Rui Barbosa e Floriano Peixoto começa a ganhar força em Mogi Mirim. Uma reunião realizada na manhã da última terça-feira, 19, avançou consideravelmente nesse sentido ao traçar prioridades e debater alternativas para o projeto que pretende dar nova cara aos jardins centrais de Mogi Mirim.

Para a Praça Floriano Peixoto, o Jardim Velho, as principais mudanças serão no entorno da Igreja de Nossa Senhora do Carmo, que neste ano completa o primeiro centenário de sua grande reforma. A vontade da Paróquia de São José, responsável pelo templo, é fechar a rua da igreja para o trânsito de carros, mantendo apenas acessos laterais para moradores da região.

O Padre Nelson Antonio Demiciano, atual Pároco de São José de Mogi Mirim, defende a construção de uma boulevard em frente a Igreja do Carmo, para favorecer a acessibilidade ao local e evitar tráfego de veículos pesados, o que prejudica a estrutura do já centenário templo católico.

O arquiteto e ex-vereador Hélvio Guateli aprovou a sugestão do padre Nelson e foi além, cobrando uma profunda reforma na praça. “Esse jardim parece jardim de cemitério, mais do que qualquer outra coisa”, criticou. “Não é uma troca de piso que vai revitalizar isso, a praça precisa ser devolvida ao povo”, acrescentou.


Representada pelos secretários de Governo, Antonio Camilotti Júnior, e de Planejamento e Mobilidade Urbana, Beatriz Gardinali, a Prefeitura informou que teve seus projetos de revitalização do Jardim Velho, como o Rota Acessível, frustrados pela crise financeira. No entanto, a Administração Municipal se comprometeu orçar novos projetos e estudar a capacidade de captar recursos.

MATRIZ
A reforma da praça símbolo de Mogi Mirim também esteve em pauta. Guateli defendeu que a revitalização não faça distinção entre Rui Barbosa e São José. Foi em 1980, durante o governo do ex-prefeito Ricardo Brandão, que a rua que separava os jardins foi extinta, unificando as praças.
O arquiteto fez duras críticas ao estado atual da Rui Barbosa. “Está velha, está decadente, feia, não atrai ninguém. Imagine essa praça sem a igreja”, avaliou. “Hoje, praça e igreja estão divorciados. Precisamos revitalizar culturalmente antes de pensar em piso e tijolo”, disse, incentivando a produção cultural no Centro da cidade.

Guateli ainda cobrou iniciativa da Prefeitura. “Recurso [financeiro] existe, nós que não sabemos utilizar”, pontuou. “Não basta levar um papel com a assinatura do prefeito [ao governo federal], leve um projeto”, sugeriu ao secretário municipal de Governo.

A vereadora Maria Helena Scudeler (PSB) sugeriu que os bancos localizados na praça (Itaú e Banco do Brasil) também contribuam financeiramente com o projeto de revitalização. “A igreja está fazendo a parte dela, cuidando dos dois maiores patrimônios da cidade”, encerrou padre Nelson, em referência a Igreja do Carmo e a Matriz de São José.

ÁRVORES
O corte de árvores na Praça São José e Rui Barbosa foi descartado pela Prefeitura, que se comprometeu a intensificar a manutenção no local. Recentemente, as árvores passaram por um processo de poda. Padre Nelson revelou que há preocupação por parte de algumas pessoas. “Há quem diga que as árvores estão comprometidas, mas não tenho nenhum laudo em mãos dizendo que elas estão colocando as pessoas em risco”, afirmou.

MONUMENTO
Por sugestão do vereador Luiz Guarnieri (PSB), o monumento em homenagem aos pracinhas de Mogi Mirim que combateram na Segunda Guerra Mundial pode ser transferido para o Tiro de Guerra (TG). Atualmente, a peça está ao lado da Igreja Matriz.

O Centro de Documentação Histórica (Cedoch) se posiciona a favor, de acordo com o historiador Valter Poletini, desde que seja construído um museu no TG, em homenagem à Revolução de 1932 e às Forças Expedicionárias Brasileiras (FEB). O sub-tenente Roberth Gonçalves do Santos também aprovou a ideia. “Para nós seria muito interessante, poderíamos associar a uma instituição militar como ponto turístico”, sugeriu.

Novo técnico do Mogi quer surpreender na Série C

Apresentado oficialmente na terça-feira, 19, como treinador do Mogi Mirim para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série C, o técnico Leston Júnior terá a missão de retornar o Sapão da Mogiana para a Série B do Brasileiro. Jovem, mas com boas experiências em clubes em que comandou, onde alcançou as fases mais agudas das competições obtendo dois acessos com Inter de Bebedouro-SP e Tupi-MG, o novo comandante do Mogi Mirim pretende formar uma equipe competitiva do Sapo para a Série C.

“Temos três etapas distintas nesta temporada da Série C. A primeira é manter-se na divisão. A segunda é alcançar as fases mais agudas e a terceira é assegurar o acesso para a Série B. Mas, para isso, precisamos de um time equilibrado e competitivo”, comenta Leston Júnior.


O presidente do Sapo, Luiz Henrique de Oliveira, assumiu algumas falhas nas temporadas anteriores, mas que não serão repetidas a partir desta próxima temporada. “Cometemos algumas falhas nas últimas temporadas, mas sempre com o objetivo de acertar. Os torcedores poderão ter certeza que as falhas não irão mais se repetir”, declara o dirigente.

Após a coletiva de apresentação de Leston Júnior, o presidente do Sapão da Mogiana se reuniu com o treinador e com o seu auxiliar Leonardo Devanir para discutir uma lista de nomes de reforços que poderão integrar o elenco mogimiriano para a disputa do Brasileiro da Série C.

“Temos bons nomes selecionados e iremos discutir as melhores opções para o clube. O atleta que estiver dentro do orçamento e que atender o planejamento traçado para a Série C, iremos nos empenhar para contratar”, afirma Leston Júnior com aval do presidente Luiz Henrique de Oliveira.

A reapresentação dos jogadores que irão permanecer para a disputa da Terceira Divisão do nacional ocorreu na quarta, 20. Este foi o primeiro contato de Leston Júnior com os atletas do Mogi Mirim. O Sapo estreia no Brasileiro da Série C contra o Botafogo de Ribeirão Preto no Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto, em partida que deverá ocorrer entre os dias 21 e 22 de maio. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) ainda não divulgou a tabela oficial com datas e horários do Campeonato Brasileiro da Série C.

Editoria: ,

Sindicato quer 10,48% de reajuste; Prefeitura tenta equilibrar finanças

Após assembleia realizada na última segunda-feira, 18, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sinsep) enviou à Prefeitura a proposta formal de reajuste para o funcionalismo de 10,48%.

A Administração Municipal tem um prazo de dez dias para responder ao pedido. Essa resposta ainda será colocada sob avaliação de uma nova assembleia a ser convocada posteriormente pelo Sinsep.

Pelos lados do governo municipal, os últimos dias têm exigido muito jogo de cintura por parte do atual Secretário de Administração, Francisco Roberto Scarabel Júnior. A atual legislação coloca travas sobre a aplicação do percentual por causa do ano eleitoral e, a rigor, a Prefeitura pode reajustar os salários com a inflação do primeiro trimestre, já que a data base da categoria é em maio.

Scarabel garante que tem tido uma interlocução privilegiada junto ao presidente do Sinsep, Antonio Maciel, na tentativa de encontrar uma solução que agrade as duas partes. Na questão do reajuste, enxerga dificuldades adicionais.

“Estamos muito próximos do limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) além do fato de sermos obrigados a respeitar a Legislação Eleitoral. Esta é uma questão que vai consumir ainda muitas horas de negociações. O prefeito Gustavo Stupp tem manifestado sua posição em atender as reivindicações até onde o bom senso e a Lei permitirem. O Sindicato dos Servidores tem toda legitimidade para fazer as exigências que a categoria determinar. Por isso é que estamos dedicando tempo e energia para resolver o assunto da melhor maneira, onde possa prevalecer o bom senso que resulte num acordo que atenda às necessidades dos dois lados”, defendeu.

Scarabel, secretário de Administração
O secretário informou durante entrevista concedida para A COMARCA nesta semana que devido à queda de arrecadação, se viu dentro do olho do furacão ao perceber que a folha de pagamento estava comprometida com os gastos que se mantiveram, agravados ainda, segundo seu entendimento “com o aumento da inflação”.

Contas feitas, Scarabel começou a trabalhar para a manutenção do fornecimento da cesta básica com a qualidade exigida pelos servidores. Para tanto, explica que foi necessário um reordenamento nos custos da cesta básica distribuída a cerca de dois mil servidores municipais com o objetivo de adaptar o contrato de aquisição à atual realidade econômica do município.

Haveria uma economia, segundo seus cálculos, de cerca de R$ 55 mil ao mês. “Comparativamente falando a arrecadação municipal neste ano caiu com relação ao período anterior e existe uma determinação explícita do prefeito para que os gastos acompanhem este cenário de retração”, avaliou Scarabel.

A oportunidade para equalizar os gastos com a cesta, veio, segundo ele, com o término do antigo contrato de fornecimento vencido em março. A partir daí, Scarabel projetou uma redução em torno de 18% no valor da cesta, de aproximadamente R$ 182,00 para cerca de R$ 154,00. A fórmula encontrada foi a supressão de quatro itens dos produtos de limpeza e diminuição de alguns outros nos itens de alimentação.

A equação estava pronta e antes que a atual administração pudesse, conforme revelou Scarabel, “informar de forma prudente” ao conjunto de servidores, “houve um vazamento dessa informação”, comprometendo, segundo ele, a comunicação de forma correta aos principais interessados. A consequência imediata, acabou sendo segundo seu entendimento “uma irada reação de setores do funcionalismo”.

No entanto, Scarabel acredita que será encontrada a solução mais adequada, mas adverte que a conta deve sempre fechar beneficiando ambas as partes. Apesar disso, faz questão de enfatizar que Mogi Mirim oferece, mesmo com a mudança proposta, a cesta básica mais bem fornida entre as prefeituras da região, com uma exclusividade segundo ele: “A cesta é entregue na porta do servidor, não importa onde ele resida, ou seja, se ele mora em outra cidade da nossa região a prefeitura entrega a cesta na porta da casa do servidor”.

Homem é detido pela PM após tentar matar ex-companheira no Centro

Luiz Carlos de Oliveira, 53, morador de Mogi Guaçu, foi detido pelos policiais militares, Renato e Junqueira, após ter tentado matar uma mulher, de 38 anos, na Rua João Teodoro, região central da cidade.

Segundo os relatos da vítima à Polícia, ela havia mantido um breve relacionamento com o autor e, após ter desistido de dar continuidade na relação, ele passou a persegui-la.

A vítima relatou que ele ficava mandando mensagens e a procurando com insistência, fazendo com que, por duas vezes, mudasse de casa.

Por volta das 7h20, da sexta-feira, 22, a vítima, ao sair para trabalhar, foi abordada por ele que insistia para terem uma conversa. A mulher disse que estava atrasada para o trabalho e que não queria conversar.

Para evitar que ela não lhe desse a atenção, Luiz Carlos agarrou-a pelos braços e cabelos, sacando de uma arma que estava na meia e apontando contra a cabeça da vítima, que gritou.

O grito chamou a atenção de funcionários de uma obra, nas proximidades, que seguiram em socorro da mulher. Quando os pedreiros se aproximaram, Luiz Carlos apontou a arma em direção dos mesmos, ameaçando atirar se chamassem a polícia.

A vítima, neste momento, aproveitou e entrou em, luta corporal contra o agressor que fugiu em disparada.

A Polícia Militar foi acionada e, após receber as informações das características do agressor, realizou patrulhamento, localizando-o na Rua do Tucura. Ele foi detido e levado ao plantão policial.
Em seu poder, foi encontrada uma carta destina a familiares, onde dizia que mataria uma mulher por questão de honra e depois se mataria.

Ele foi autuado em flagrante por tentativa de homicídio qualificado e levado à cadeia de Itapira.



Editoria:

Natação feminina do Mogiano fica em 2º

A equipe Master de Natação do Clube Mogiano esteve presente em mais uma etapa e dessa vez conseguiu obter um resultado nunca antes conquistado nessa competição. A equipe conseguiu o troféu de 2º lugar na categoria feminina entre as 24 equipes participantes. O masculino conquistou a terceira colocação. Na classificação geral, a equipe do Clube Mogiano ficou em 6º lugar entre as 40 equipes.

Nesta competição, realizada dia 9 de abril em Pirassununga, a equipe contou com 20 atletas e conquistou 57 medalhas sendo 18 de ouro, 27 de prata e 12 de bronze. “São resultados importantíssimos e que estão melhorando a cada etapa, graças ao esforço e a dedicação de todos os atletas. "Com certeza o Clube Mogiano vem evoluindo cada vez mais e consequentemente tem disputado de igual pra igual com equipes tradicionais da região”, comentou a professora Alessandra, técnica da equipe.


Editoria: ,

Criminosos se passam por agentes dos Correios

 Uma residência localizada próximo à Praça Duque de Caxias, região central, foi alvo da ação de bandidos na manhã da quarta-feira, 20, quando elementos, se passando por funcionários dos Correios, invadiram o local e renderam uma moradora de 22 anos.

A vítima contou à Polícia que estava em sua residência, quando o interfone tocou. Ao verificar, notou que se tratava de um ‘funcionário’ dos Correios. O bandido estava uniformizado e informava que teria a entrega de um sedex para uma moradora, mencionando o nome da mãe da vítima.

A jovem foi até a porta para receber a encomenda e, quando estava assinando, o elemento mostrou uma arma em sua cintura anunciando o assalto.

O criminoso disse a jovem para que ficasse quieta, que nada aconteceria e, que só queria ouro e dinheiro, obrigando-a entrar na casa, sendo seguida por ele e por um comparsa que apareceu repentinamente.

Os bandidos reviraram a moradia, mantendo a vítima junto deles.

Um dos bandidos seria mais violento, e chegou a ameaçar a vítima e usando de violência a apertar seu rosto e pulso.

A ação foi interrompida, quando uma vizinha gritou para a vítima se estaria ocorrendo algo. Neste instante, os assaltantes, que já haviam se apoderado de três anéis, R$ 150,00 em dinheiro e bijuterias, fugiram.

Editoria:

Conrado é 7º do Brasil no “Maria Lenk”

Conrado Coradi Lino, nadador da equipe Free Play/ Sejel, terminou em 7º lugar nos 400 metros nado Medley, com o tempo de 4’32”84 no Campeonato Brasileiro Absoluto de Natação e 8º nos 200 metros nado Medley, com o tempo 2’04”78. As colocações foram em competição que foi a última para formação da seleção que participará nas Olimpíadas Rio 2016, disputada no Olympic Aquatics Center, no Rio de Janeiro. A competição serviu também como evento teste para as Olimpíadas.

Conrado não conseguiu a vaga, pois, somente os dois melhores tempos e abaixo do índice A, exigido pela Fina irão. O nadador nadou para o índice B. “Não consegui desta vez, mas meu sonho não acabou, foi apenas adiado, Tókio 2020 passa ser o foco”, afirma Conrado.


Vale lembrar que logo após o término das Olimpíadas o Olympic Aquatics Center vai ser desmontado, então, esta competição, além das olimpíadas será a única a ser disputada neste local. “Conrado fez uma ótima competição, mas muita coisa estava envolvida e a pressão foi enorme, eu digo que é quando a parte física e técnica não é o mais importante, e sim a parte psicológica, e ainda temos que evoluir neste quesito, apesar de termos acompanhamento psicológico ainda falta muito”. Comenta o Prof. Ricardo Antonio Martiniano, técnico da equipe. Conrado ainda terminou em 31º nos 50 metros nado de Livre com 23”37. Já por equipes terminou em 12º lugar do Brasil, excelente classificação.

A preparação agora vai para o Troféu José Finkel em Agosto, que é seletiva para o Campeonato Mundial de Piscina Curta que será realizado no Canada.

Além de seus patrocinadores SEJEL, Conectado, Gran Plus, M.A.G. Implantes, Nutrimundo a equipe tem o apoio da Clinica Vitallis e Fisioclínica e Laboratório 22 de Outubro, Ótica Líder e Vadox.

Editoria: ,
Scroll to top